quarta-feira, 17 de outubro de 2012

Esperando Os Favores Dos Ventos




   Vem chegando a noite e junto com ela vem a certeza de que nada nesse mundo é permanente, o amanhã está por vir, mas, será que ganharemos o amanhã? Na medida que os raios solares se vão, junto a eles se despedem momentos inesquecíveis, tempos de alegrias e de tristezas, vitórias e derrotas, colhemos experiências e deixamos o que achamos nos pertencer, nada nos pertence, talvez nem mesmo as experiências colhidas, somos o quê afinal? O que temos? Tivemos o passado do qual não somos mais senhores, vivemos com o presente do qual não temos controle, do futuro temos expectativas que se desfazem com o tic tac do relógio, e com o andar da carruagem.
   Muitas coisas me fascinam, muitas coisas me deixam de cabeça baixa, muitas coisas me fazem erguê-la. Não é nada fácil ter que sobreviver nessa selva de pedras onde os corações perambulantes também são de pedras, se bem que alguns parecem serem de vidros, por se estraçalharem em meio a tantos desafios, em meio a tantas dores e frustrações, são raros os mestres em carregar na face sorrisos atrás de sorrisos, mesmo quando tudo está perdido.
   Embora, algumas coisas possam estarem se encaixando em meio ao percurso, desejaria só por pequenos segundos satisfazer uma vontade, e carregar nos meus sentidos a lembrança de um alguém importante,mas, que seja realmente marcante, que me faça jurar amor eterno, mesmo que de eterno ele não tenha nada, nem em ilusão o amor se faz tão assim, tão...convincente. Os amores que vejo hoje parecem estarem se desmanchando, como as próprias rochas que por mais fortes que sejam, conseguem se deixar deteriorar pelo poderes dos ventos, que os bons ventos leve também todo esse peso que sinto agora. ESPERANÇA, SEMPRE ESPERANÇA!