Filmes

Filme: Comer, Rezar e Amar


   Por coincidência ou não este filme foi um dos que mais gostei ultimamente, pois ele define bem a minha vida quase que por completo. Eu me vi e me reconheci na personagem Liz, interpretada pela atriz Julia Roberts que por sinal é uma das atrizes que mais gosto do cinema norte-americano, pra mim ela é muito boa no que faz, e todos os filmes que já assisti que contaram com a participação dela no elenco, satisfizeram o meu gosto.
   Liz é uma mulher que tem uma vida até então normal para muitas pessoas, só que para ela não, talvez esta aparente normalidade foi até crucial para que ela se tornasse uma pessoa inconformada, a partir daí, ela decide buscar a sua própria pessoa, se encontrar no mundo enquanto ser humano com a finalidade de descobrir aquilo que pra ela fosse prazeroso, que pudesse lhe trazer felicidade, a primeira coisa que ela procura fazer é cair no mundo conhecendo lugares que era do seu desejo conhecer e que ao mesmo tempo possibilitasse a ela encontrar o seu "eu".
   O primeiro destino foi a Itália, onde é do interesse de quase todos poder desfrutar e sentir melhor os sabores da culinária daquele lugar, depois seguiu para a Índia, país que lhe ensinou  a controlar melhor suas emoções, sentimentos e que fez fluir a fé que dentro dela adormecia, para isto, o misticismo indiano, a prática da meditação foram de grande importância. Seu destino final foi a ilha de Bali, lugar que lhe presenteou com o amor verdadeiro, após ter tido algumas experiências frustradas.
   Depois de tudo o que ela vivenciou e absorveu pelo caminho ela teve a certeza de que fizera a coisa certa, apostando suas fichas no incerto, coisas que poucas pessoas tem a coragem de fazer. E a vida que antes não tinha nenhum sentido, ganhou forma e refloresceu através do significado de uma única palavra: Attraversiamo,  que quer dizer: Atravessemos. Assim, espero ter aprendido um pouquinho mais que as mudanças acontecem em torno do movimento.

Filme: Uma Prova de Amor

    Pode parecer estranho, mas, apesar das aparências meu blog não tem o cinema como tema principal, (rsrrsrs), venho postando muito a respeito deste assunto, por apreciar as abordagens perfeitas por parte de algumas produções, me emociono, me divirto, me aborreço, me espanto com algumas dessas criações, e quando gosto não vejo por quais motivos não comentar aqui nesse cantinho e poder compartilhar com vocês o que sinto, o que vejo. Acho importante poder dividir isto, pois, nossos gostos revelam muito sobre as nossas personalidades, seria como se fosse um cartão de visitas.
   Como já havia feito um basicão sobre algumas atrações, estou aqui novamente com a intenção de apresentar-lhes mais um filme que se chama Uma Prova de Amor, filme fantástico que assisti nesta semana, e a questão que veio a chamar minha atenção, foi sobre como uma família lhe dava com um de seus membros que sofria de Câncer, que é uma doença como todos sabem, muito destrutiva e agressiva para o corpo humano, apesar de ali, naquele lar, ter se instaurado um grande problema, havia uma forte união entre as pessoas que formavam aquele elo.
   Todos colaboravam de alguma maneira para que a parente portadora de CA, pudesse se sentir realizada até o último instante de sua vida, e isto era magnífico, a situação já estava se tornando insustentável para todos, e eles lógico, sabiam qual seria o desfecho daquele episódio, não seria como num final de contos de fadas, seria diferente, muito diferente. Apesar de tudo, a nossa guerreira Kate (Sofia Vassilieva), levou até onde pode, com muita maturidade, pra quem esperava a morte a qualquer instante. Enfim é um filme que serve para nos mostrar o quanto nos submetemos a tantos falsos sofrimentos e nos entregamos diante disso!

Filme: Uma Viajem Muito Louca
   

   O comentário da vez, é a respeito desse filme Uma Viajem Muito Louca, pude assisti-lo, e achei que poderia ser mais um daqueles famosíssimos besteirol americano, é uma comédia que tem lá suas aparências, porém, o humor desenvolvido em cima desse filme, desperta mais uma vez os olhares críticos daqueles que também puderam ter acesso, é visível durante a apresentação do mesmo, o total preconceito que os EUA tem sobre alguns assuntos. Após serem confundidos com terroristas em um avião, os personagens Harold e Kumar, curiosamente de origens asiáticas, são detidos e passam a viver uma louca aventura fugindo das autoridades norte americanas.
   Harold e Kumar são expostos como figuras que colocam em perigo a segurança daquele país, logo, são vítimas de uma perseguição implacável, sendo levados para um presídio em Cuba, eles são deixados por lá onde não ficam nem se quer por dois dias, conseguiram escapar e regressar de maneira ilegal para a terra do tio Sam, em várias cenas são colocadas em questão a aversão para com a religião islâmica, aos negros, que já não é novidade alguma a existência do grande preconceito racial que por lá se desenvolveu, o uso declarado da maconha pelos personagens principais, que nos remete aquela polêmica discussão sobre a legalização da mesma que até então é ilícita , dentre outros assuntos que seria melhor deixar que vocês leitores possam acompanhar, é claro se tiver curiosidade!
   Apesar dos pesares, gostei do filme que serviu para que pudesse ter a certeza de que o público não digere qualquer produção de maneira "cega", onde muitas vezes somos reféns de alguma inocência, não "pescando" as mensagens muito bem passadas, mas, muito mal compreendidas, as pessoas estão cada vez mais ligadas nesses sinais que são lançados para a gente com um certo tipo de desprezo com a nossa capacidade de raciocínio, mas, que serve de alerta para conhecermos também o modo pelo qual somos subjugados pela política cultural irracional dos Estados Unidos da América.


 Filme: Amor e Outras Drogas
( Fonte:Youtube)



   Expondo meu olhar particular sobre o filme Amor e Outras Drogas, transformo-me em um leigo comentarista de filmes, atacando de crítico cinematográfico, não podia deixar passar a oportunidade de relatar a minha satisfação pelo mesmo. Contando com a participação nos papéis principais dos atores Jake Gynllehal vivendo o personagem Jamie Randall: Importante representante de um grupo atuante na indústria farmacêutica que faz de tudo para divulgar os produtos de sua empresa no mercado, e da bela Anne Hathway que vive a Maggie Murdock: Mulher tipo Femme fatale, unindo em sua personalidade a elegância e a suavidade de uma flor com a audácia desenvolvida por ela em função de um motivo bem próprio. 
   Tudo vai se desenvolvendo de maneira natural até que os dois se conhecem no consultório do Dr.Stan Knight vivido pelo ator: Hank Azaria. Jamie a trabalho, Maggie como paciente do Dr Stan por ser portadora de mal de Parkinson. Ele começa a olhá-la de uma maneira digamos que diferente, até que o resultado acaba se tornando o nascimento de uma relação superficial, ligada apenas pelo sexo selvagem e sem compromisso.
  Porém, essa relação vai se tornando cada vez mais séria e um descobre que não consegue viver sem o outro, a doença da Maggie que poderia ser um impasse para o casal, acaba por uni-los ainda mais. Ela é pega pela surpresa de viver um romance verdadeiro ao lado de uma pessoa  que á apoia, algo que ela não acreditava que pudesse acontecer. Ele é surpreendido por mais um daqueles instantes nos quais conhecemos uma pessoa e tudo passa a ser diferente em nossas vidas, levando-o a deixar o sonho de se consagrar profissionalmente na cidade de Chicago, para viver uma realidade bem mais prazerosa ao lado da mulher que ama. Para melhor compreensão da estória vale a pena assisti-lo, garanto que não vão se arrepender, um mix de comédia e romance, ideal para sessões em finais de tarde, ou, uma noite gostosa ao lado do amigos(as). Não esqueçam da pipoca! 


Nenhum comentário:

Postar um comentário